Afinal, o que é um think tank e qual é a sua importância para políticas públicas no Brasil? Think tanks são instituições que desempenham um papel de advocacy para políticas públicas, além de terem a capacidade de explicar, mobilizar e articular os atores. Atuam em diversas áreas, como segurança internacional, globalização, governança, economia internacional, questões ambientais, informação e sociedade, redução de desigualdades e saúde.

Produzem pesquisas, análises e recomendações que contribuem para um ambiente de conhecimento, permitindo, inclusive, que os formadores de políticas públicas tenham ferramentas para tomar decisões mais embasadas, além de ter um papel importante na disseminação de conhecimento à sociedade.

“A ideia de think tank nasceu justamente a partir da percepção de uma falta na sociedade, uma necessidade”, explica Diogo Costa, presidente da Enap, citando o exemplo do Institute of Economic Affairs, um dos primeiros think tanks no mundo, fundado em 1955.

“Os think tanks conseguem cumprir um papel muito importante numa  sociedade cada vez mais complexa de informação: fechar lacunas de conhecimento na sociedade, entre academia e sociedade, entre academia e o governo e até mesmo entre o governo e a sociedade”, explica Diogo.

 

 

Panorama

Existem hoje no mundo mais de 8 mil think tanks, segundo levantamento da Universidade da Pensilvânia, que atuam em níveis regionais, nacionais ou globais. São instituições de diferentes naturezas: podem ser autônomas ou ligadas a governo, universidades, fundações, partidos políticos ou ao setor privado.

No Brasil, existem mais de 100 think tanks. E o número continua em ascensão na América Latina, inclusive com diversificação dos tipos. Ainda predominam, no entanto, aqueles ligados a universidades, governos ou fundações.

 

 

#CuradoriaEnap

Para ler