O GNova, laboratório de inovação da Enap, promoveu, na quarta-feira (29), a primeira edição do GNPapo – conversa com inovadores – do ano. O evento contou com a presença da Diretora-Executiva do People in Government Lab da Universidade de Oxford, Margarita Gómez.

Ela é de origem mexicana e relatou como a ciência comportamental está sendo aplicada na equipe que coordena na Universidade de Oxford, localizada no centro-sul da Inglaterra, onde foi criado o laboratório de gestão de pessoas, colocando-as no centro da transformação digital.

Informou que Brasil, México, África e China estão engajados em impulsionar a cooperação internacional na busca de servidores comprometidos e capacitados tecnicamente para melhor desenharem as políticas públicas.

O laboratório atua com temas como a geração de vínculos entre os servidores públicos, os tomadores de decisão e os acadêmicos, com abordagens oriundas de diferentes disciplinas e métodos diversos. Trabalham também na projeção de cursos para futuros líderes.

O que motiva a pessoa a se incorporar ao governo, o que lhe fornece o ânimo para o trabalho diário? Quais são as características efetivas de um servidor público, o que o leva a tomar decisões e a correr riscos?

O ingresso de novas gerações no serviço público foi outro desafio tratado pela equipe da professora Margarita. Os jovens têm motivações diversas sobre temas sociais e constituem uma geração com altos níveis de saída do governo após um ou dois anos do ingresso, o que se constitui em uma tendência a ser tratada internacionalmente.

Gestão por resultados, uma posição adotada desde os anos 90, também apresenta suas externalidades positivas e negativas. Na mesma linha, foram estudados os incentivos, monetários ou não, que podem influenciar o comportamento. Experimentos demonstraram que o reconhecimento público pelo desempenho, a manifestação de gratidão, o fato de tornar visível a um servidor público que seu trabalho é importante são fatores que têm efeito positivo na motivação individual, além do incentivo econômico.

Uma pesquisa realizada com policiais mexicanos que possuíam boa cobertura salarial e baixo nível de motivação constatou que os três fatores principais de motivação eram reconhecimento familiar, sentimento de servir à sociedade e reconhecimento do trabalho realizado. Os resultados foram idênticos para homens (representavam 70% do grupo) e mulheres (30%).

A gestão comportamental das pessoas envolve várias disciplinas, que abordam as influências, as normas morais, o autoconceito dos indivíduos, sua motivação intrínseca e extrínseca, ou seja, matérias que dêem conta da complexidade do comportamento humano.

Na segunda parte do GNPapo, a especialista realizou dinâmicas de escuta ativa, com a formação de grupos que debateram as principais características que deve ter um líder, os desafios principais do governo brasileiro sobre gestão de pessoas. São assuntos que estão no cotidiano dos debates, eventos e cursos realizados pela Enap.

Sobre a pesquisadora

Gómez tem mais de 12 anos de experiência trabalhando para construir governos melhores e projetar políticas públicas mais eficazes. Ao longo de sua carreira, combinou prática e teoria, trabalhando no setor público e na academia.

Em 2016, ela fundou o primeiro laboratório de políticas públicas focado na aplicação de ciências comportamentais e métodos experimentais do México, no âmbito do Centro de Pesquisa e Ensino em Economia. Três anos depois, o laboratório é reconhecido como um centro de referência para o desenho de políticas públicas comportamentais e baseadas em evidências em toda a América Latina.

Como chefe da Unidade de Inovação, Comportamento e Experimentação, Margarita construiu e liderou uma equipe multidisciplinar de pesquisadores, acadêmicos e profissionais e estabeleceu a formação de parcerias com agências governamentais federais e locais, organizações internacionais e universidades e acadêmicos de classe mundial.

Ela também liderou vários projetos de pesquisa baseados em evidências, usando ciências comportamentais para resolver problemas nos governos federais e locais, incluindo corrupção, discriminação de gênero e motivação para o serviço público. Também ministrou cursos universitários e seminários e workshops sobre economia comportamental, design thinking, resolução de problemas e ética comportamental na Colômbia, Chile, Estados Unidos e México.

Confira