A disponibilidade de dados oferece oportunidades para a construção de políticas públicas eficazes. O tema foi debatido no último Frontend

Dados são importantes fontes de informação que possibilitam análises, estudos e até o desenvolvimento de políticas públicas baseadas em evidências que podem garantir um melhor acesso da população a seus direitos. No entanto, a  transparência no setor público vai além do simples acesso aos dados. É preciso saber como utilizá-los para poder gerar análises mais completas do cenário político e econômico. 

No Fronteiras e Tendências da última quarta-feira (15/09), o professor do Ibmec, da Fundação Dom Cabral e colunista do Valor Econômico Bruno Carazza conversou com o economista e coordenador-geral de ciência de dados da Enap, Leonardo Monasterio, sobre como trabalhar a economia política baseada em dados

Ponto de partida 

Entender o funcionamento do sistema político brasileiro é um dos fatores que Carazza aponta ser possível compreender através da pesquisa minuciosa de informações. “Eu me interesso muito pelo debate público e acho que os dados são fundamentais para nortear esse debate e sair do achismo, sair das posições, principalmente na política que envolve muita ideologia. Acho que os dados colocam a discussão em outro patamar e isso é importante.”

Dados são observações documentadas ou resultados de medições. Bruno salientou a importância de se entender além dos números, dos dados quantitativos, e compreender os processos e contextos em que estão inseridas as informações. “Houve um avanço gigantesco nos métodos e nas formas de processar os dados, mas se a pessoa não entender como isso funciona vai acabar fazendo uma pesquisa que está mais para o ambiente acadêmico do que para o debate público ou que realmente auxilie decisões de políticas públicas,” afirma.

Trabalhar com dados pode ser uma tarefa que exige o conhecimento de diversas plataformas e softwares, Bruno explica que para começar uma pesquisa não é necessário conhecer e entender todos eles. “Uma dica que dou para quem se interessa por esse universo de dados é começar com o básico - conversar com o velho Excel, com estatística descritiva e depois vai dando os vários passos”, aconselha.

Por fim, o especialista em dados destacou a importância do trabalho em equipe para pesquisas que necessitam deste tipo de informação. “É preciso trabalhar em equipe e contar com a interdisciplinaridade. Ao derrubar essas barreiras você acaba produzindo resultados que são realmente significativos e podem contribuir para o avanço da ciência e para a melhoria das políticas públicas.”

Confira abaixo os principais pontos da conversa entre Bruno Carazza e Leonardo Monasterio:

 

 

Conteúdo relacionado

Pesquisa revela desafios para adaptação ao trabalho híbrido 

Apresentado no último FronTend, levantamento mostra como a tecnologia e a pandemia mudaram a percepção sobre o mundo do trabalho.

Publicado em:
20/11/2022
Frontend discute futuro do trabalho

Evento acontece dia 17 de novembro, às 19h30, com transmissão ao vivo pelo canal da Enap no Youtube

Publicado em:
10/11/2022
Servidores estrangeiros podem concorrer a vagas para mestrado ou doutorado

Candidatos devem ter proficiência em português e em inglês, além de disponibilidade financeira para custear estadia em Brasília durante o curso

Publicado em:
13/10/2022
Brasil pode gerar mais de 8 milhões de empregos com o mercado de carbono

Estudo da WayCarbon mostra segmentos com maior potencial e oportunidades para o Brasil 

Publicado em:
27/09/2022