Palestrantes deram exemplos concretos de como avançar na entrega que contemple agilidade e qualidade das entregas, com foco nas necessidades do cidadão

Foto: Paulo Pestana

A forma como os usuários percebem as transformações em andamento na oferta de serviços on-line foi o tema principal de debate na mesa “Governo Digital e Mundo Real — Relacionamento com o Cidadão”. O painel foi o primeiro realizado no palco principal e fez parte da abertura das atividades da Semana da Inovação 2022, nesta segunda (8). Com mediação do secretário de Governo Digital, Fernando Coelho, os palestrantes deram exemplos concretos de como a digitalização foi implementada e quais os obstáculos que ainda precisam ser superados. “Estamos na terceira onda do governo digital. E o cidadão está no centro dela”, disse Coelho.

Karime Ruibal, diretora de Serviços Digitais da Agência de Governo Eletrônico do Uruguai, contou como foi o passo a passo de digitalização iniciado em 2008 no país, dando detalhes sobre legislações que foram aprovadas e mudanças de mentalidade na administração. “O governo digital e a relação com o cidadão somos nós que construímos. Governo digital é um processo contínuo, com melhorias constantes. E isso precisa estar sempre na mentalidade do administrador público”, disse. “Os cidadãos estão cada vez mais acostumados com a transformação digital em andamento. Então, avançamos e precisamos seguir avançando em infraestrutura. O cidadão sempre tem uma necessidade, que é solucionar um problema. A digitalização levou a uma economia de tempo e temos que estar sempre mais próximos, a um clique de distância”, completou.

O engenheiro de software e mestre em tecnologia da informação Jean Philbert Nsengimana, ex-ministro de Tecnologia da Informação e Comunicação de Ruanda, abordou os cinco “P” que devem estar presentes na metodologia e no dia a dia do governo digital: pessoas, políticas, parcerias, plataformas e lucro (profit, em inglês - que é envolver a iniciativa privada no processo. “São os cinco pontos que devem ser prioridade na gestão. É fundamental padronizar o atendimento ao cidadão. Tudo deve estar disponível num único lugar”, afirmou Nsengimana. Entre as inovações destacadas está o processo de abertura de empresas no país africano. Segundo o engenheiro, antes da digitalização de processos, o prazo médio era de um mês. “Com mudança na legislação e automação de processos, baixamos para seis horas”, comemorou.

Já o diretor-geral do Departamento Central do Ministério Federal Alemão para Digital e Transporte (BDMV), Rudolf Gridl, citou casos em que a digitalização diminuiu o tempo de prestação de serviços para os cidadãos. Um deles foi a concessão de benefícios sociais, em processos que, muitas vezes, se referiam a dados de 50 anos anteriores. “Antes, todo o processo físico levava de cinco a seis meses, com as pessoas tendo que enfrentar filas, preencher formulários de papel e anexar documentos. Agora, está tudo num aplicativo. E o tempo caiu incrivelmente”, comentou. Segundo Gridl, o servidor público precisa estar a bordo do governo digital, com treinamentos essenciais. “Esse é o nosso grande desafio: achatar a montanha da burocracia”, concluiu.

Na visão do Banco de Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Brasil é referência em digitalização a serviço do cidadão e tem condições para avançar ainda mais. As soluções digitais melhoraram o dia a dia da população. Ganhou a simplificação, com menos burocracia”, assegurou Morgan Doyle, representante do BID no Brasil. O banco é um parceiro do governo brasileiro e reforçou que a instituição está à disposição para aumentar ainda mais a digitalização de serviços. 

Sobre a Semana de Inovação

A Semana de Inovação tem como objetivo reunir os principais especialistas do setor para promover debates e troca de experiências sobre iniciativas de uso de tecnologias, metodologias e processos para melhorar o serviço público brasileiro. É um evento que tem como realizadores: Escola Nacional de Administração Pública (Enap), Tribunal de Contas da União (TCU), Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso) e Ministério da Economia. Além da correalização do Ministério da Saúde, do SUS, do Ministério da Educação, da Funasa, do Inep, da Fundação Joaquim Nabuco e da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI).

Em 2022 o evento chega à 8ª edição. Com o tema “Tempo de criar”, a Semana de Inovação 2022 acontece entre 8 e 10 de agosto em formato híbrido, on-line e presencial em Brasília, no Rio de Janeiro e em Recife. Dataprev, Serpro, Adaps, Sebrae, BID, Cateno, 99, Gringo, Microsoft, Nic.Br, CGI.Br e Zoom já são patrocinadores desta jornada! Além do apoio da República, ABDI, Eldorado, Museu de Arte do Rio, Wylinka, IFood, Catálise, Instituto Unibanco, Lab Griô e Porto Digital.

Conteúdo relacionado

Inscrições prorrogadas para o bootcamp desenvolvimento web

Curso vai de outubro a dezembro e inscrições podem ser feitas até 12 de setembro. Os candidatos devem ficar atentos às etapas de seleção. 

Publicado em:
29/08/2022
FronTend discutirá os impactos da blockchain no setor público

Parceria da Enap com a Microsoft traz a advogada Camila Rioja, precursora na junção do direito com a tecnologia 

Publicado em:
22/08/2022
Governo quer unificar digitalização de todos os poderes

Ideia, lançada pela Secretaria de Governo Digital do ME, é ampliar os serviços oferecidos à sociedade pela internet

Publicado em:
09/08/2022
Especialista em TI aponta soluções para aprimorar serviços oferecidos pelos governos

Palestrante deu exemplos concretos de como produtos e serviços em nuvem da GovCloud podem contribuir para melhorar os serviços públicos

Publicado em:
08/08/2022