Menos de 5% da população investe na bolsa de valores e a maior parte do dinheiro está nos bancos tradicionais

O Brasil precisa passar por uma mudança comportamental em relação à maneira como lida com dinheiro. É isso que acredita Carol Paiffer, fundadora e presidente da Atom S.A. - empresa voltada a traders do mercado financeiro [compra e venda de ativos]. Segundo Paiffer, essa mudança passa pela educação financeira. “Cada vez que eu tomo uma atitude inteligente sobre meu dinheiro, estou ajudando meu país, contribuindo para a melhora da economia”, argumentou. 

No Brasil, menos de 5% da população investe na bolsa de valores. A maior parte do dinheiro está nos bancos tradicionais, sendo cerca de 29% na poupança. Para a empresária, isso pode ser explicado, entre outros fatores, pela aversão ao risco existente na cultura financeira do Brasil. “Tudo que você faz na vida envolve risco. O que precisamos é aprender a fazer a gestão do risco para que possamos tomar decisões”, afirmou. Por isso ela defende o aprimoramento do processo de educação financeira. “Aprender é a chave. Compartilhar conhecimento e educar a população vai fazer a diferença”, defendeu.

Para ela, esse processo tem início em cada um de nós. “Todos nós, sem exceção, somos influenciadores e somos educadores. Todos temos o poder de compartilhar algo que a gente aprende”, pontuou a empresária, que também é colunista do Estadão. Segundo ela, a tecnologia facilita esse compartilhamento, reduzindo os limitadores e possibilitando uma mudança cultural no país. Carol Paiffer apresentou exemplos de plataformas não-tradicionais utilizadas para a educação financeira, entre eles o game Trader’s Life, um jogo de simulação para treinar as habilidades no mundo dos investimentos, desenvolvido pela Atom S.A.

“Se você falar abertamente sobre dinheiro e empreendedorismo, você estará criando uma grande espiral positiva do bem. As pessoas ao seu redor serão inspiradas pelo seu exemplo, pela sua atitude”, concluiu.

Sobre a Semana de Inovação

A Semana de Inovação tem como objetivo reunir os principais especialistas do setor para promover debates e troca de experiências sobre iniciativas de uso de tecnologias, metodologias e processos para melhorar o serviço público brasileiro. É um evento que tem como realizadores: Escola Nacional de Administração Pública (Enap), Tribunal de Contas da União (TCU), Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso) e Ministério da Economia. Além da correalização do Ministério da Saúde, do SUS, do Ministério da Educação, da Funasa, do Inep, da Fundação Joaquim Nabuco e da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI).

Em 2022 o evento chega a sua oitava edição. Com o tema “Tempo de criar”, a Semana de Inovação 2022 acontece entre os dias 8 e 10 de agosto em formato híbrido, on-line e presencial em Brasília, no Rio de Janeiro e em Recife. Dataprev, Serpro, Adaps, Sebrae, BID, Cateno, 99, Gringo, Microsoft, Nic.Br, CGI.Br e Zoom já são patrocinadores desta jornada! Além do apoio da República, ABDI, Eldorado, Museu de Arte do Rio, Wylinka, IFood, Catálise, Instituto Unibanco, Lab Griô e Porto Digital. 

Conteúdo relacionado

Economia circular pode reduzir em até 40% as emissões de baixo carbono até 2050

Palestra sobre o tema abordou como soluções circulares são necessárias para lidar com emissões geradas pela indústria

Publicado em:
11/08/2022
Enap apresenta agenda de futuros para o Brasil

Documento foi apresentado no encerramento da Semana de Inovação e traz propostas de ações nas áreas de sustentabilidade, infraestrutura e progresso econômico

Publicado em:
10/08/2022
Oficinas de programação web movimentam Semana de Inovação

Cursos encorajam gestores a entender mais sobre tecnologia para aperfeiçoar contratação de serviços 

Publicado em:
10/08/2022
Enap lança aplicativo que conecta pesquisadores e gestores

O Bora identifica interesses comuns na área de avaliação de políticas públicas  

Publicado em:
10/08/2022