Chloé Valdary participou da última edição do FronTend e defende o uso da empatia no relacionamento interpessoal

Como melhorar a sociedade através da educação individual? Para a ativista e escritora Chloé Valdary, que tem aplicado a Teoria do Encantamento na formação de lideranças e no combate compassivo ao racismo, temos que lembrar que o ser humano é ambíguo e seu impulso de se expressar é algo forte e que faz parte da natureza. Em sua participação na quinta edição do Fronteiras e Tendências deste ano, no último dia 28 de abril, Chloé apresentou seu programa de resolução de conflitos que busca desenvolver essencialmente um bom caráter, resiliência e amor próprio. “A identidade de uma pessoa não pode ser simplesmente fixada ou encaixada em uma caixa monolítica. É importante lembrar que uma pessoa contém multitudes”, afirma a escritora.

A Teoria do Encantamento é uma estrutura inovadora que combina educação socioemocional, desenvolvimento do caráter e crescimento interpessoal como ferramenta para o desenvolvimento de lideranças. No bate-papo com Diogo Costa, presidente da Enap, a escritora que já capacitou alunos, escolas, empresas e governos em vários países, incluindo Estados Unidos, África do Sul, Holanda, Alemanha e Israel, ressaltou a importância da aplicação dos três princípios fundamentais da teoria no desenvolvimento do ser humano:

  1. Tratar pessoas como seres humanos e não como distrações políticas;
  2. Ao criticar, elevar e empoderar, nunca com o intuito de derrubar ou destruir;
  3. Fazer tudo com amor e compaixão. Amor no sentido do termo grego ágape, não baseado em condições.

Aplicar a Teoria em governos e, dependendo do caso, promover a quebra de certos tipos de culturas enraizadas nas organizações é um dos desafios que Chloé pretende quebrar. “Temos diferentes formas de trabalhar com o setor público e com o setor privado, pois depende da natureza da organização. Por exemplo, no setor privado existe menos burocracia, menos barreiras. Assim, é mais fácil chegar ao topo do poder, mas quando trabalhamos com agências e governos, e eles realmente querem prosseguir com o programa, é bem fácil”, explica Chloé.

Durante sua participação no FronTend, ela explicou como utiliza a cultura pop para ensinar coisas simples que podem fazer a diferença. O Rei Leão, Moana, Aladdin, O corcunda de Notre-dame, A pequena sereia e Toy story 3 são alguns exemplos de filmes da Disney utilizados para exemplificar condutas e ações que, muitas vezes, são realizadas no cotidiano tanto para o bem, quanto para o mal e que muitas vezes não percebemos. 

“Hakuna Matata, embora seja uma música muito cativante, pode levar você a pensar que é algo para se inspirar, mas Hakuna Matata, e essa é a lição que Simba deve aprender,não é a forma como você deve viver sua vida. Você tem responsabilidades. Assim como temos direitos, também temos responsabilidades. Somos responsáveis pelas pessoas ao nosso redor, por nossa família, amigos e nossa comunidade, e isso é algo que Simba deve realmente aprender e o porquê ele finalmente deixa o exílio e retorna à Pedra do Reino”, explica a ativista se referindo ao famoso bordão utilizado pelos personagens da Disney no filme O Rei Leão.

Confira abaixo os principais pontos da conversa entre Chloé Valdary e Diogo Costa e assista a entrevista completa em nosso canal do YouTube na versão original em inglês e na versão em português.

  • A teoria do encantamento em 3 princípios básicos
  • Como adotar a teoria do encantamento em governos: diferenças entre sua aplicação no setor público e privado
  • A capacidade de construir conexões e práticas recomendadas
  • O encantamento em tempos de trabalho remoto: a importância dos rituais para criação de significados
  • O humor como uma ferramenta possível de encantamento
  • Como lidar com um líder com baixa autoconsciência emocional
  • Como usar críticas para empoderar alguém
  • A necessidade de chegar a um equilíbrio no uso das mídias sociais
  • Recomendação de livros e filmes

 

 

Palavras-chave:

Conteúdo relacionado

Debate discute futuro da geopolítica e a guerra na Ucrânia

A primeira edição do Fronteiras e Tendências contou com a participação do ex-ministro de Assuntos Europeus de Portugal, Bruno Maçães

Publicado em:
28/04/2022
Ex-ministro de Assuntos Europeus de Portugal falará sobre o desafio geopolítico do século XXI

Bruno Maçães participa de evento no dia 19 de abril. Faça sua inscrição

Publicado em:
03/04/2022
Governo e terceiro setor: como estabelecer parcerias para melhorar políticas públicas

No último Fronteiras e Tendências do ano, foi debatida a ideia do trabalho em equipe, onde cada setor e pessoa são importantes para o avanço do país

Publicado em:
13/12/2021
Aprendizados adquiridos no exercício da parentalidade podem ser usados no ambiente profissional?

Em nova edição do FronTend, foram abordadas as oportunidades de reflexão que nossos filhos nos trazem todos os dias

Publicado em:
28/10/2021