A necessidade de inovar foi definida após a queda brusca de análises no período inicial da pandemia de covid-19

A pandemia causada pela Covid-19 criou a necessidade de modernização do serviço público, em especial na saúde e na educação, que não podem parar. Uma saída para disponibilizar cursos à sociedade e avaliar instituições via Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) foi trazer para a realidade virtual tudo que, em outros tempos, só poderia ser feito presencialmente.

No caso do Sinaes, um dos maiores desafios foi transformar as visitas técnicas em tour online. “Para alguns, foi um grande desafio. Mas instituímos a plataforma Teams e os primeiros resultados já mostraram que o projeto era factível e poderia ser trazido à realidade”, explicou Thérèse Hoffman Gatti, professora da Universidade de Brasília (UnB) e consultora vinculada ao ministério da Educação.

A necessidade de inovar foi definida após a queda brusca de avaliações das instituições e cursos de educação no Brasil, atrapalhando a chegada de informação para a sociedade. “Tínhamos uma média de 5 mil avaliações por ano. Em 2020, só conseguimos fazer 500. Quando mudamos o formato, em 2021, houve uma retomada e, hoje, a expectativa é que 2022 se encerre com quase 8 mil avaliações realizadas”, relembrou Thèrése.

Além da economia de tempo, o dinheiro também começou a render mais nesse formato. A economia veio pela menor necessidade de compra de passagens aéreas e hospedagem dos avaliadores. “É ótimo ir para o lugar, tomar um café, sentir o ar daquela cidade diferente. Só que também é necessário haver troca de avaliadores para que servidores locais não avaliem afetivamente com boas notas locais que não sejam mais tão bons e tão produtivos”, analisou a professora.

Atualmente, o sistema funciona de forma mais prática: um funcionário da instituição avaliada percorre os caminhos com a câmera ligada, mostrando instalações, equipamentos e colocando os avaliadores em contato com professores e alunos. “Há, claro, alguns percalços, como locais onde o sinal de internet não pega. Aí a gente improvisa, dá dois passos para trás, liga o zoom e resolve o problema”, brincou a educadora da UnB.

Sobre a Semana de Inovação

A Semana de Inovação tem como objetivo reunir os principais especialistas do setor para promover debates e troca de experiências sobre iniciativas de uso de tecnologias, metodologias e processos para melhorar o serviço público brasileiro. É um evento que tem como realizadores: Escola Nacional de Administração Pública (Enap), Tribunal de Contas da União (TCU), Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso) e Ministério da Economia. Além da correalização do Ministério da Saúde, do SUS, do Ministério da Educação, da Funasa, do Inep, da Fundação Joaquim Nabuco e da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI).

Em 2022 o evento chega a sua oitava edição. Com o tema “Tempo de criar”, a Semana de Inovação 2022 acontece entre os dias 8 e 10 de agosto em formato híbrido, on-line e presencial em Brasília, no Rio de Janeiro e em Recife. Dataprev, Serpro, Adaps, Sebrae, BID, Cateno, 99, Gringo, Microsoft, Nic.Br, CGI.Br e Zoom já são patrocinadores desta jornada! Além do apoio da República, ABDI, Eldorado, Museu de Arte do Rio, Wylinka, IFood, Catálise, Instituto Unibanco, Lab Griô e Porto Digital. 

Conteúdo relacionado

GNpapo presencial está de volta e discute projetos de experimentação

O evento acontece na sede da Enap em Brasília e é aberto ao público em geral

Publicado em:
21/09/2022
Aberta chamada pública para avaliadores do 26º Concurso Inovação

A participação como avaliador será considerada prestação de serviço público relevante, não remunerada

Publicado em:
04/09/2022
Aberta chamada para startups e órgãos públicos interessados no uso de inteligência artificial

Inscrições estão abertas para startups na 1ª rodada e para órgãos e entidades públicas na 2ª rodada. O apoio financeiro será de até R$ 80 milhões, no total

Publicado em:
31/08/2022
Economia circular pode reduzir em até 40% as emissões de baixo carbono até 2050

Palestra sobre o tema abordou como soluções circulares são necessárias para lidar com emissões geradas pela indústria

Publicado em:
11/08/2022