Em apresentação no Palco Holofote, auditora Érika Scozziero falou sobre as mudanças feitas na administração do tribunal

Práticas inovadoras em auditoria e de integridade no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Esse foi um dos temas abordados pela auditora Érika Scozziero em palestra realizada no Palco Holofote, no terceiro e último dia de atividades da Semana de Inovação 2022, em Brasília, nesta quarta-feira (10). Scozziero apresentou exemplos concretos sobre vivências no dia a dia da administração pública e as soluções adotadas.

Segundo Érika Scozziero, entre 2015 e 2016, o TSE começou a aprimorar processos internos. “Implementamos uma metodologia que a gente chama de ‘auditoria baseada em riscos’. É uma forma de trabalho que já nos aproxima do gestor e faz com que o auditor foque em suas avaliações naquilo que é mais crítico dentro do objeto avaliado”, afirma. 

Em 2020, no entanto, ocorreu um momento importante de inflexão no órgão. “O nome da nossa unidade era Secretaria de Controle Interno e Auditoria, e nós mudamos para Secretaria de Auditoria. Pode parecer uma mudança simples de nomenclatura, mas para gente foi impactante e determinante porque para quem conhece um pouco de controle interno e auditoria sabe que esses papéis não podem ser confundidos dentro de uma mesma unidade administrativa, então, nós passamos a realmente realizar apenas auditorias”, afirmou.

A auditora abordou também a preparação para as eleições deste ano. “A Transparência Internacional tinha publicado o resultado do Índice de Percepção de Corrupção 2021 (IPC) e o nosso País teve um resultado lamentável. A nossa nota foi 38 de 100. A gente ocupa a 96ª posição no ranking de 180 países. Isso demonstra estagnação na percepção de combate à corrupção e a transparência internacional avaliando o contexto brasileiro em 2021”, recordou.

De acordo com Érika Scozziero, o Relatório Retrospectiva Brasil cita o TSE como  um aspecto positivo, entre tantos negativos ocorridos no ano passado, principalmente por causa da Comissão de Transparência eleitoral e do Programa de Enfrentamento das Informações Falsas. “São só algumas das diversas iniciativas que o TSE vem adotando. E são inovadoras para demonstrar o nosso compromisso com eleições limpas e seguras.”

A auditora citou, por exemplo, a disponibilização com mais antecedência do código-fonte das urnas eletrônicas. “Há uma estrutura montada no TSE para que qualquer entidade que tenha o interesse possa avaliar os códigos-fontes com todo o aparato e suporte da nossa equipe técnica de Tecnologia da Informação”, disse. “Nós reformulamos os testes de integridade das urnas eletrônicas, aumentando em seis vezes o número de amostra de ondas a serem selecionadas para esses testes. Iremos disponibilizar no site os boletins de urna que são transmitidos dos TREs para o TSE juntamente com as tabelas de correspondência efetivadas durante todo o processo de recebimento dessa documentação. Tudo isso demonstra o compromisso de ética e de integridade com eleições limpas e seguras”, completou.

 

Sobre a Semana de Inovação

A Semana de Inovação tem como objetivo reunir os principais especialistas do setor para promover debates e troca de experiências sobre iniciativas de uso de tecnologias, metodologias e processos para melhorar o serviço público brasileiro. É um evento que tem como realizadores: Escola Nacional de Administração Pública (Enap), Tribunal de Contas da União (TCU), Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso) e Ministério da Economia. Além da correalização do Ministério da Saúde, do SUS, do Ministério da Educação, da Funasa, do Inep, da Fundação Joaquim Nabuco e da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI).

Em 2022 o evento chega à 8ª edição. Com o tema “Tempo de criar”, a Semana de Inovação 2022 acontece entre 8 e 10 de agosto em formato híbrido, on-line e presencial em Brasília, no Rio de Janeiro e em Recife. Dataprev, Serpro, Adaps, Sebrae, BID, Cateno, 99, Gringo, Microsoft, Nic.Br, CGI.Br e Zoom já são patrocinadores desta jornada! Além do apoio da República, ABDI, Eldorado, Museu de Arte do Rio, Wylinka, IFood, Catálise, Instituto Unibanco, Lab Griô e Porto Digital.

Conteúdo relacionado

Economia circular pode reduzir em até 40% as emissões de baixo carbono até 2050

Palestra sobre o tema abordou como soluções circulares são necessárias para lidar com emissões geradas pela indústria

Publicado em:
11/08/2022
Enap apresenta agenda de futuros para o Brasil

Documento foi apresentado no encerramento da Semana de Inovação e traz propostas de ações nas áreas de sustentabilidade, infraestrutura e progresso econômico

Publicado em:
10/08/2022
Oficinas de programação web movimentam Semana de Inovação

Cursos encorajam gestores a entender mais sobre tecnologia para aperfeiçoar contratação de serviços 

Publicado em:
10/08/2022
Enap lança aplicativo que conecta pesquisadores e gestores

O Bora identifica interesses comuns na área de avaliação de políticas públicas  

Publicado em:
10/08/2022