A disponibilidade de dados oferece oportunidades para a construção de políticas públicas eficazes. O tema foi debatido no último Frontend

Dados são importantes fontes de informação que possibilitam análises, estudos e até o desenvolvimento de políticas públicas baseadas em evidências que podem garantir um melhor acesso da população a seus direitos. No entanto, a  transparência no setor público vai além do simples acesso aos dados. É preciso saber como utilizá-los para poder gerar análises mais completas do cenário político e econômico. 

No Fronteiras e Tendências da última quarta-feira (15/09), o professor do Ibmec, da Fundação Dom Cabral e colunista do Valor Econômico Bruno Carazza conversou com o economista e coordenador-geral de ciência de dados da Enap, Leonardo Monasterio, sobre como trabalhar a economia política baseada em dados

Ponto de partida 

Entender o funcionamento do sistema político brasileiro é um dos fatores que Carazza aponta ser possível compreender através da pesquisa minuciosa de informações. “Eu me interesso muito pelo debate público e acho que os dados são fundamentais para nortear esse debate e sair do achismo, sair das posições, principalmente na política que envolve muita ideologia. Acho que os dados colocam a discussão em outro patamar e isso é importante.”

Dados são observações documentadas ou resultados de medições. Bruno salientou a importância de se entender além dos números, dos dados quantitativos, e compreender os processos e contextos em que estão inseridas as informações. “Houve um avanço gigantesco nos métodos e nas formas de processar os dados, mas se a pessoa não entender como isso funciona vai acabar fazendo uma pesquisa que está mais para o ambiente acadêmico do que para o debate público ou que realmente auxilie decisões de políticas públicas,” afirma.

Trabalhar com dados pode ser uma tarefa que exige o conhecimento de diversas plataformas e softwares, Bruno explica que para começar uma pesquisa não é necessário conhecer e entender todos eles. “Uma dica que dou para quem se interessa por esse universo de dados é começar com o básico - conversar com o velho Excel, com estatística descritiva e depois vai dando os vários passos”, aconselha.

Por fim, o especialista em dados destacou a importância do trabalho em equipe para pesquisas que necessitam deste tipo de informação. “É preciso trabalhar em equipe e contar com a interdisciplinaridade. Ao derrubar essas barreiras você acaba produzindo resultados que são realmente significativos e podem contribuir para o avanço da ciência e para a melhoria das políticas públicas.”

Confira abaixo os principais pontos da conversa entre Bruno Carazza e Leonardo Monasterio:

 

 

Conteúdo relacionado

Debate discute futuro da geopolítica e a guerra na Ucrânia

A primeira edição do Fronteiras e Tendências contou com a participação do ex-ministro de Assuntos Europeus de Portugal, Bruno Maçães

Publicado em:
JuePM-03E_Abril-0300RAbrPM-03_0C5_PM00_4E17th_AbrPM4th-0300R2022
Ex-ministro de Assuntos Europeus de Portugal falará sobre o desafio geopolítico do século XXI

Bruno Maçães participa de evento no dia 19 de abril. Faça sua inscrição

Publicado em:
DomPM-03E_Abril-0300RAbrPM-03_0C5_PM00_7E13rd_AbrPM7rd-0300R2022
Governo e terceiro setor: como estabelecer parcerias para melhorar políticas públicas

No último Fronteiras e Tendências do ano, foi debatida a ideia do trabalho em equipe, onde cada setor e pessoa são importantes para o avanço do país

Publicado em:
LunPM-03E_Diciembre-0300RDicPM-03_0C5_PM00_1E50th_DicPM1th-0300R2021
Aprendizados adquiridos no exercício da parentalidade podem ser usados no ambiente profissional?

Em nova edição do FronTend, foram abordadas as oportunidades de reflexão que nossos filhos nos trazem todos os dias

Publicado em:
JuePM-03E_Octubre-0300ROctPM-03_0C5_PM00_4E43th_OctPM4th-0300R2021