Um profissional que coordena um time de pessoas que cobre 11 países e que tem uma esposa, quatro filhos e um cachorro. Assim se apresentou Fábio Rua ao abrir a live Café com Debate, promovida pela Enap no último dia 5 de junho. Ele falou sobre gerenciamento do tempo e integração entre o trabalho e vida pessoal no contexto da Covid-19. 

Fábio é diretor de Relações Governamentais e Assuntos Regulatórios para América Latina, da IBM. E afirmou que o isolamento motivado pela pandemia da Covid e a nova forma de organizar a vida particular e profissional são uma oportunidade para fazer mudanças que possam ser benéficas na volta à normalidade. E aí entra a gestão do tempo, como primeiro ponto a ser enfrentado.

Se você perdeu, confira os principais pontos do debate abaixo ou, se preferir, assista no nosso canal no Youtube!

 

 

1. Aprender a dizer um não embasado, educado e convicto

“Se a gente tem noção que precisa aprimorar a produtividade, é preciso zelar pelo tempo, o que exige treinamento, atitude e determinação. Dizer não é o primeiro exercício; um não embasado, educado, convicto de que está sendo dado em função de uma entrega mais importante naquele momento”, declarou Fábio. 

Ele se referia à participação em reuniões, muitas vezes pouco produtivas, elaboração de relatórios e viagens, que são meios para se atingir objetivos maiores. Ou seja, a produtividade deve ser medida pelo impacto do que se faz, muito mais do que pelo número de reuniões ou papers entregues.

2. Fazer um refresh no sistema operacional

O pragmatismo das relações é outro item fundamental para gerenciar esta vida que não é momentânea. A relação público-privada tende a ser mais informal, melhor azeitada, já que os objetivos são comuns. A liderança contemporânea pede parceria, com menos rituais hierárquicos e mais isenção entre as partes.

O palestrante afirmou que não teremos mais a vida que tínhamos antes,  o que traz a oportunidade para as pessoas se reinventarem. Ele convidou as pessoas a recarregarem sua página, deixando fora elementos que não servem mais, ou seja, um refresh no sistema operacional, utilizando a linguagem da tecnologia.

Na opinião de Fábio, a integração remota fará parte desse grande reset. Ele se disse surpreso ao receber a informação sobre os 3.500 serviços mapeados pela administração pública federal, 55% dos quais já digitalizados. “A digitalização está relacionada à produtividade de vocês, à forma que terão de remotamente tomar decisões, entregar um relatório, interagir com as pessoas. Se você está conectado e é responsável, o home office será anywhere office,” ou seja, o trabalho a partir de qualquer lugar.

3. Não confundir integração entre trabalho e vida pessoal com não ter hora para nada

“Estamos na era da criatividade, da emoção aflorada, da vida como ela é. Isto será cada vez mais valorizado do que era no passado”, disse Fábio. Ele acredita que, com o home office, a vida pessoal e profissional se fundiram, e que há um aprendizado também nisto. 

Mas alerta: “não confunda essa integração com não ter hora para nada. Claro que você terá que criar bloqueios em sua agenda. O sentido é planejar seu dia de modo a fazer caber nele tanto as responsabilidades pessoais quanto profissionais, intelectuais e emocionais”. Para Fábio, é preciso foco, determinação e certeza de que você está fazendo o que é importante.

4. Um novo normal nada normal

Sobre o “novo normal”, Fábio Rua afirmou que de normal não tem nada. A retomada pós-pandemia será com outros procedimentos no ambiente de profissional e na vida social. “Entendo que a hierarquia no serviço público às vezes dificulta mudanças estruturais como as que discutimos aqui. Não deixem que a normalidade tire de vocês a oportunidade de promover mudanças no trabalho, na vida e na casa de vocês”. 

 

 

Se você perdeu edições anteriores, veja como recuperar.

Assista →

Experiência da CGU com Priscila Diniz

Experiência da Oracle com Bento Bueno

Experiências do Tesouro Nacional com Lincoln Moreira Junior